Eu, você, Bartimeu

Bartimeu a beira do caminho

Cego. Sentado à beira do caminho. Pedindo esmola.

Bartimeu tinha uma cegueira física. Algo que o impedia caminhar, ver, observar, e, naquele contexto,  exercer funções sociais. Bartimeu, em sua deficiência encontrara uma forma de sobreviver. Sentou-se à beira do caminho, provavelmente, um lugar movimentado, e pedia esmolas.

Bartimeu dependia de outros para contar suas pequenas moedas no fim do dia. Tinha que acreditar que não o iam enganar. Bartimeu não tinha expectativas quanto ao futuro, até que: ouviu os passos da multidão e soube que no meio dela vinha Jesus. Bartimeu já ouvira falar de Jesus, acreditou que aquele era um momento único: momento de ver Jesus e ser tocado por ele. Momento de recuperar a visão!

Bartimeu começa a gritar: Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Bartimeu era, constantemente, repreendido pela multidão e pelos próprios discípulos, mas continuava: Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Jesus o ouviu e o mandou chamar. O que Bartimeu mais queria estava sendo realizado.  Alguém vendo a sua situação e transmitindo o recado de Jesus diz: Ânimo! Levante-se! Ele o está chamando. Bartimeu deixou ali sua capa e saltou ficando em pé, em sua cegueira dirigiu-se para Jesus que o ouviu e o curou instantaneamente.

Apesar de uma parcela da população ser deficiente visual, um grande outra parcela padece de cegueira espiritual. Carregamos uma limitação e fazemos dela o nosso motivo para paralisar à beira do caminho e esperar a multidão passar. Não nos sentimos capazes de caminhar, começamos a viver dependentes de migalhas, de esmolas e achamos que é assim que deve ser.

Ouvimos os passos da multidão, mas nos encontramos fracos e desanimados demais para clamar por Jesus. O orgulho da miséria que nos atinge cega-nos ainda mais, tornando-nos isolados na cegueira, na ignorância, e na solidão.

A multidão pode sim ser traidora, confusa e barulhenta, mas, em alguns momentos, dentro dela está Jesus pronto para curar, para derramar graça e misericórdia. Jesus passa por ela, confronta-a, e tem compaixão da multidão, pois são como ovelhas sem pastor.

Cabe-nos, identificar dentro da multidão, a voz de Jesus. É claro que a multidão pode se irritar com os nossos gritos e gemidos, mas Jesus tem seus ouvidos atentos e capazes de distinguir dentre o barulho da multidão o grito e o pedido sincero e necessitado.

É hora de se mexer. Desligar-se da limitação e correr para Jesus que fará a pergunta: O que você quer que lhe faça? Nós podemos dizer-lhe: que eu veja! Ou é claro, que muitos ainda ligados à limitação pedirão outra coisa, como: mudar o passado, receber esmolas mais significativas, trocar de capa, enfim! Jesus respeita nossos pedidos, mas poderá colocar um fim definitivo na cegueira, na limitação e no problema que nos paralisa e que nos torna incapazes de retomar o nosso caminho!

Hoje, Jesus pode estar enviando alguém para nos dizer:

“Ânimo! Levante-se! O Mestre está te chamando!”

Eu e você temos diante de nós uma grande oportunidade. E, agora, o que faremos?

 

Bíblia

  • Marcos 10:46 -52

 

Leia também

Nova vida: amor e arrependimento Vivemos uma era em que se combate o preconceito. Existem movimentos para apoiar todas as minorias na sociedade. Esses movimentos trabalham para criar leis que os defendam, e q...
O oculto “Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz” Lucas 8.17. Em Josué 7, Acã se apossou do proibido. S...
Acusado e acusadores   Em João 8 lemos a história de uma mulher pega em ato de adultério e que fora levada até Jesus. Questionaram Jesus acerca de sua postura frente a um pecado intolerado p...

Nos encoraje deixando um comentário!