Vencendo o medo para viver novas aventuras

Vencendo o medo

Medo, caverna e inércia: deixando para trás e enfrentando novas aventuras

MedoMedo

O medo faz parte da vida da gente. Todos temos medo de algo. O medo na medida certa nos protege dos perigos aos quais, sem ele, estaríamos expostos. No entanto, o medo cresce, alcança proporções gigantescas fazendo que fiquemos paralisados.

Quando criança eu tinha medo de tratores grandes, como os de “pá carregadeira”, tinha medo de altura e outras coisas. Cresci e alguns medos cresceram junto. No dia a dia vou tentando desvencilhar dos que me aprisionam, mas confesso: Não tem sido fácil.

O profeta Elias também teve medo, fugiu e se escondeu. O medo paralisou o homem e o profeta. O medo tem essa função paralisa-nos de tal forma que não conseguimos desempenhar o nosso papel de servo, de profeta ou de qualquer natureza da nossa missão.

Caverna

Elias entrou em uma caverna, dormiu e teve desejo de morrer. Há muitas pessoas cavernaque não tem mais vontade de viver, que vivem fugindo ou que estão enclausuradas.

Há outras que já conheceram a caverna. Sabem que é um lugar inóspito, escuro e sombrio, porém pode se tornar aconchegante quando estamos com medo. Sabem, ainda que não podem continuar na caverna e então se posicionam à entrada dela, e ao menor uivo noturno ou ao barulho de um vento mais forte entram novamente na caverna, voltando à refazer o movimento autoprotetivo e repleto de medo.

A entrada da caverna parece um bom lugar para quem sabe que o interior da caverna não oferece ar puro e relacionamentos, mas que também sabe que longe da caverna, a possibilidade de encarar desafios sem proteção é muito maior. Então ficam em um meio termo.

Inércia

Há muitas pessoas à entrada da caverna, e talvez essas sejam aquelas que já enfrentaram furacões violentos, foram atingidas por ventos gelados ou se perderam na trilha. Talvez, tenham se visto sozinhas ao atravessarem corredeiras, enfrentado o sol causticante ou sido abandonadas pelas antigas companhias de viagem. As lembranças ainda estão bem fortes e agora sentiu que precisa se proteger ainda mais, afinal, sobreviver longe da caverna exige esforço, sacrifício e determinação.

É importante saber que nossa caminhada é traiçoeira, precisamos estar protegidos contra as cobras, das árvores caídas na nossa frente e das armadilhas dos calabouços, no entanto, estaremos à disposição do ar puro, de novas paisagens e do despertar do sol a cada manhã.

Não encontraremos somente desafios, mas encontraremos mananciais, cachoeiras, pássaros cantando, natureza exuberante e pessoas que podem enriquecer em muito o nosso caminhar.

É preciso distanciar da porta da caverna, vencer o medo e estar prontos para os novos desafios. As aventuras diárias fazem parte de uma vida em atividade, preenchem o nosso diário e colocam sabor em nossa existência.

A porta da caverna representa a mediocridade, o contentamento com uma vida incolor e sem sabor.

As desventuras já vivenciadas nas trilhas da vida ficaram para trás. Foram superadas e não precisamos nos assombrar com elas, é um novo dia! Temos uma nova oportunidade de explorar e continuar a nossa trajetória. O novo nos espera! O medo e as experiências dolorosas não podem nos paralisar!

Elias foi despertado do sono da inércia ou da depressão provocada por um medo exorbitante, por um anjo. Ele foi alimentado e precisou fazer o caminho de volta, preparar seu substituto e colocar a vida em ordem.

Anjos também passam por nós, precisamos saber ouvi-los. Sempre aparece alguém com uma mensagem, uma canção ou uma amizade a nos oferecer novos rumos, a nos solicitar que nos desagarremos das portas da caverna e saiamos rumo à nova vida. Mas, depende de nós, ninguém fará o caminho que precisamos fazer. Há uma trilha para cada um e aceitar isso é o primeiro passo para tomar decisões e se afastar da caverna que, ao invés de nos ajudar a vencer, nos traz conformismo e alimenta o medo de encarar a realidade.

“esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo” Filipenses 3.13-14.

Leia também

Aprendendo com os limites “Eu só quis ajudar”- Essa é uma frase típica de quem meteu os pés pelas mãos ou exagerou ao ajudar alguém a fazer o que, na verdade não queria. Como o velho ditado diz: de boa...
Acusado e acusadores   Em João 8 lemos a história de uma mulher pega em ato de adultério e que fora levada até Jesus. Questionaram Jesus acerca de sua postura frente a um pecado intolerado p...
As maravilhas das multidões As multidões estavam maravilhadas – Mateus 7.28 Desde o tempo de Jesus avalia-se o ambiente pela quantidade de pessoas. Se a Igreja está cheia subtende-se que é boa, abençoad...

4 comments on “Vencendo o medo para viver novas aventuras

  1. Excelente reflexão! O medo aprisiona de tal forma, que muitos têm medo de admitir que tem medo. Continue escrevendo! Deus usa sua pena!

  2. Que bênção, Lídia. O exercício de escrever, além de ser uma organização do pensar tão salutar para alguns ainda ajuda aos outros. Prossiga, por favor. Grande abraço

Nos encoraje deixando um comentário!